Gastroplastia Brasil Serviço de cirurgia do Hospital Angelina Caron.

(0xx41) 3679 - 8218

Médico cirurgião

Dr. Wilson Paulo dos Santos (CRM-PR 14204)

Hérnias

Surge geralmente quando uma pessoa tenta levantar peso; casos mais graves, quando estrangula, precisa ser operada

Hérnia é a protrusão de um órgão ou parte dele através de um orifício natural ou adquirido. A hérnia geralmente aparece quando o portador tenta levantar um peso, tossir ou fazer qualquer outra tarefa que aumente a prensa abdominal (a hérnia literalmente salta do abdome, em um processo muito doloroso).

A cavidade abdominal é basicamente um grande espaço onde ficam os intestinos, o estômago, o fígado e outros órgãos. Eles são mantidos no lugar por aponeuroses, músculos e pele, com algumas áreas fechadas por ossos. Quando, por qualquer motivo, ocorre um enfraquecimento desta parede, com a formação de um orifício na parte muscular e aponeurótica da parede, as estruturas que estão dentro do abdome tendem a deslizar para o orifício, criando uma protrusão visível ao portador - só a pele separa o intestino (por exemplo) da parte exterior do abdome.

O tamanho do orifício (chamado de anel) é muito importante: caso o anel deste orifício seja largo o bastante para entrar e sair o intestino, por exemplo, ele causará apenas desconforto ao paciente. Mas caso o anel do orifício seja pequeno, corre-se o risco da alça intestinal entrar e não conseguir sair, trancando a circulação desta alça intestinal (estrangulamento).

Hérnias estranguladas constituem uma emergência médica gravíssima. Caso o paciente não seja operado rapidamente corre sério risco de vida: ao sofrer um estrangulamento a alça intestinal não recebe sangue e oxigênio, sofrendo com a isquémia e necrosando.

A parte afetada se rompe e ocorre a perfuração do intestino, liberando seu conteúdo diretamente na cavidade abdominal, que não está preparada para se defender. Como resultado o paciente pode morrer de infecção generalizada (septicemia).

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável técnico - Dr. Wilson Paulo dos Santos - CRM-PR (14204) - cirurgião geral - RQE - 12005, Medicina Intensiva - RQE - 12317.

Desenvolvido por: Paulo Henrique