Gastroplastia Brasil Serviço de cirurgia do Hospital Angelina Caron.

(0xx41) 3679 - 8218

Médico cirurgião

Dr. Wilson Paulo dos Santos (CRM-PR 14204)

Tipos de Cirurgia bariátrica

1. Totalmente Restritivos:

São técnicas que limitam o volume de alimento sólido ingerido pelos pacientes. Esta técnica depende da colaboração do paciente no pós-operatório, pois alimentos líquidos podem continuar a ser ingeridos quase no mesmo volume que eram antes da cirurgia e se forem muito calóricos irão atrapalhar a perda de peso.

Sleeve

Consiste em uma técnica que transforma o estômago em um tubo controlando o apetite do paciente. Essa cirurgia pode ser realizada por videolaparoscopia (mantendo um bom resultado estético), este procedimento atualmente não é liberado pelo sistema único de saúde (SUS), também podendo ser realizada por minilaparotomia (aberta), procedimento liberado pelo sistema único de saúde (SUS).

Banda gástrica ajustável

Este é um procedimento cirúrgico restritivo puro, no qual uma banda é colocada em volta da parte superior do estômago. Essa banda divide o estômago em duas partes, uma pequena e outra maior. A maioria dos pacientes se sente "cheio" mais rapidamente, pois a banda restringe a entrada do alimento. A digestão de alimento ocorre através do processo digestivo normal.

2. Mistos e Predominantemente restritivos:

Ocasionam desvios gástricos como o Bypass Gástrico com e sem anel.

Bypass gástrico

O Bypass Gástrico é a Cirurgia Bariatrica mais freqüentemente realizada no mundo. Essa cirurgia também é conhecida como "Cirurgia de Fobi e Capella" ou "Septação Gástrica".

Ao invez do corte, é realizado 5 ou 6 pequenas incisões com tamanho entre 5 e 13 mm. O tempo de internação hospitalar médio é de 3 dias.

Vantagens: Perda de peso adequada e duradoura, com baixo índice de insucesso. Tratam também a doença do refluxo. Apresentam taxas aceitáveis de complicações a longo prazo. São potencialmente reversíveis, embora com dificuldade técnica.

Apresentam bons resultados em termos de melhoria da qualidade de vida e doenças associadas.

Essa operação também apresenta efeitos metabólicos independentes da perda de peso. Ocorrem modificações funcionais e hormonais do tubo digestivo, com efeitos benéficos adicionais sobre o controle ou reversão das comorbidezes metabólicas, em especial sobre o diabetes tipo 2.

Desvantagens: Tecnicamente complexas; acesso limitado ao estômago excluído e ao duodeno para métodos radiológicos e endoscópicos.

Obs: Este procedimento atualmente não é liberado pelo sistema único de saúde (SUS).

3. Mistos e Predominantemente disabsortivos:

São derivações bileopancreáticas (Duodenal Switch, Scopinaro).

Scopinaro

Realizada por vídeo laparoscopia ou por via convencional na qual se realiza uma gastrectomia (retirada do estômago) parcial ou um grampeamento com secção simples do estômago , reduzindo sua capacidade em cerca de 50%, em seguida, o intestino delgado é seccionado à 2,5 metros de onde ele termina no íleo e é feito um desvio (Bypass) do intestino a cerca de cerca de 80cm do ceco, por fim, a gastroplastia é ligada ao intestino distal desviado (gastroentero anastomose) com o íleo, para que a comida possa passar novamente.

Duodenal switch

É realizada uma ressecção longitudinal do estômago1, preservando a sua anatomia e fisiologia básicas. Uma pequena porção do duodeno (primeira porção do intestino delgado11) também é preservada, contribuindo para melhor absorção de nutrientes como proteínas12, cálcio, ferro e vitamina13 B12. O que não acontece nas outras cirurgias para perda de peso. Vem sendo considerada uma evolução das cirurgias bariátricas. O alimento segue por um caminho, enquanto os sucos digestivos (bile14 e suco pancreático) seguem por outro. Encontrando-se apenas a 100cm de acabar o intestino delgado11. Isto inibe a absorção de calorias e nutrientes levando ao emagrecimento. Esta perda de peso é consistente e duradoura. Estudos recentes comprovam que a qualidade de vida dos pacientes submetidos a este tipo de procedimento é mais satisfatória a longo prazo.

Importante:

As informações contidas neste site têm caráter informativo e educacional. De nenhuma forma devem ser utilizadas para auto-diagnóstico, auto-tratamento e auto-medicação. Quando houver dúvidas, um médico deverá ser consultado. Somente ele está habilitado para praticar o ato médico, conforme recomendação do CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA.

Responsável técnico - Dr. Wilson Paulo dos Santos - CRM-PR (14204) - cirurgião geral - RQE - 12005, Medicina Intensiva - RQE - 12317.

Desenvolvido por: Paulo Henrique